Junta de Freguesia de Alvarães

Notícias

Andores floridos trouxeram milhares à festa de Alvarães

Andores floridos trouxeram milhares à festa de Alvarães

19-MAI-2008

Os andores floridos, decorados com milhares de pétalas coladas de forma a criar motivos religiosos, paisagísticos e monumentais, são os "ex-libris" da Festa de Santa Cruz, que decorreram em Alvarães, nos dias 17 e 18 de Maio. O trabalho de confecção dos onze andores tem lugar, normalmente, no pátio das casas dos mordomos e decorre praticamente ao longo de toda a semana que antecede a festa, só sendo dado por concluído na madrugada de sábado. Chegam a juntar-se, à volta de cada andor, três dezenas de "artífices", gente de todas as idades e profissões que, pétala a pétala, criam autênticas obras de arte popular. As pétalas são coladas com cola feita à base de farinha, cuja humidade permite que elas se aguentem por vários dias viçosas e coloridas. Cada lugar da freguesia tem o seu andor e ainda se cultiva uma sã rivalidade entre os vários lugares, pelo que as temáticas escolhidas são mantidas em segredo até à tarde de hoje, altura em que os andores são transportados para a Igreja Paroquial. Domingo, os andores são levados em procissão aos ombros dos mordomos, para admiração dos milhares de forasteiros que todos os anos se deslocam a Alvarães para apreciar aquelas autênticas obras de arte popular. "São andores únicos no País, `bordados` pétala a pétala pelas mãos sábias da gente da terra, pelo que este é um património de Alvarães que não se pode perder e que merece ser perpetuado", defendeu hoje o presidente da Junta de Freguesia local. Foi em Maio de 1946 que se fez em Alvarães o primeiro andor em flores naturais, cujo objectivo era a coroação da imagem de Nossa Senhora de Fátima. Em Outubro daquele ano, numa procissão que percorreu quase toda a freguesia em acção de graças pelo fim da II Guerra Mundial, mais quatro andores foram confeccionados com flores naturais, transportando as imagens de Nossa Senhora de Fátima, de Nossa Senhora do Livramento, de Nossa Senhora do Rosário e de S. Sebastião. Em 1947, o então pároco da freguesia, cónego Cepa, sugeriu que na Festa das Cruzes os andores fossem novamente feitos com flores naturais, argumentando que os ornamentos que então os enfeitavam "cheiravam a mofo". A ideia foi bem aceite pela população e assim surgiram os primeiros andores de flores naturais, que em nada se assemelhavam aos actuais, pois a estrutura era ainda feita nos armadores e depois eram compostos com solitários e jarras de flores. No ano seguinte surgiu a ideia de se começar a colar as pétalas de flores em andores já feitos por cada lugar da freguesia e de acordo com a imagem do santo que iriam transportar. Um dos andores mais pesados é o consagrado a S. Sebastião, que representa um castelo quase totalmente revestido de musgo e cujo transporte chega a "reclamar" os ombros de seis homens. Bem mais leve é o andor dedicado a Santa Gorete, que, como manda a tradição, é sempre transportado por raparigas solteiras.

Ler mais...
Alvarães vai ter uma creche em 2010

Alvarães vai ter uma creche em 2010

19-MAI-2008

O Ministro do Trabalho e da Solidariedade Social assinou no dia 17 de Maio o contrato para a construção de uma creche em Alvarães, Viana do Castelo, um equipamento orçado em 500 mil euros e que terá capacidade para três dezenas de utentes. A creche, resultante de uma candidatura ao PARES (Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais), deverá estar concluída em meados de 2010. "É um equipamento há muito reivindicado e necessário em Alvarães, para evitar que as nossas crianças mais novas sejam obrigadas a 'emigrar' para outras freguesias", disse, o presidente da Junta local. No mesmo edifício da creche será também construído um centro de noite, com capacidade para 12 utentes, "para resolver o problema de uma dezena de idosos para quem passar a noite sozinhos se tornou num mar de dificuldades". Creche e centro de noite ficarão afectos ao Posto de Assistência Social de Alvarães, uma instituição cujas raízes remontam a 1951, então com o nome de Posto de Assistência Médica de Alvarães, quando "um punhado de munícipes" se uniram em torno da criação de um serviço diário de assistência médica e de enfermagem e ajudaram a erguer o edifício do posto médico. Um edifício que, com a Revolução do 25 de Abril e o alargamento dos serviços médico-sociais a toda a população, foi cedido ao Ministério da Saúde, onde este, sem qualquer custo, mantém em funcionamento a Extensão de Saúde de Alvarães. O Posto de Assistência Médica terminou aí, mas em pouco tempo foi substituído pelo Posto de Assistência Social, que actualmente tem como valências um Centro de Dia, o primeiro do concelho de Viana do Castelo, o apoio domiciliário e um lar de idosos. Dispõe ainda da valência Rendimento Social de Inserção, que pretende melhorar a qualidade de vida e a auto-estima de uma conjunto de famílias de Alvarães.  

Ler mais...
Festa Santa Cruz e Andores Floridos 2008

Festa Santa Cruz e Andores Floridos 2008

16-ABR-2008

Realizam-se anualmente em Alvarães, concelho de Viana do Castelo, as tradicionais Festas de Santa Cruz, também conhecida por Festa dos Andores Floridos.Esta festa remota a 1724, mas só em 1946 é que surgiram os Andores Floridos, em cuja confecção toda a população da freguesia se empenha com verdadeira dedicação e amor, colocando pétala a pétala as coloridas flores, num trabalho cuja beleza final é fascinante.Este ano as festividades realizam-se no dia 17 e 18 de Maio. Festa de Santa Cruz e dos Andores Floridos Local: Freguesia de Alvarães - Viana do Castelo Um Pouco de História Por tradição e por brio, Alvarães, no limite Sul de Viana do Castelo, apresenta, na sua "Festa das Cruzes", as jóias de arte popular e de amor, que são os seus andores floridos.Confeccionados com delicadeza e beleza únicas, os andores e cruzes de Alvarães são peças únicas, autênticas manifestações de fé e bairrismo deste povo, revelação de arte, paciência e sacrifícios de quem trabalha por Deus e pela freguesia.A denominação "Festa das Cruzes" deriva de antigo cerimonial, segundo o qual, durante a procissão que, no dia de Ascenção se dirigia da Igreja ao lugar do Calvário, havia uma paragem junto de cada uma das 14 cruzes da Via Sacra, adornadas com flores naturais, onde o clero entoava algumas estrofes, a que o povo respondia. Este cerimonial era já citado em 1724, como "muito antigo e inveterado", conservando-se até aos dias de hoje, sendo que, a partir de 15 de Maio de 1947, lhe foi acrescentada uma segunda característica - os andores floridos que vieram trazer à Festa um valor acrescentado muito importante.Os andores floridos, executados somente com flores naturais, tiveram, praticamente, o seu início, na freguesia de Alvarães, no ano de 1946, aquando da Comemoração Nacional de Terceiro Centenário da Proclamação da Imaculada Conceição, Padroeira de Portugal. Resta acrescentar que estas obras, autênticas de arte e saber popular, são realizadas por gente do campo, artistas anónimos e de grande sensibilidade que utilizam milhares de pétalas e folhas variadas e pequenos ramos na sua confecção.São onze os andores, distribuídos pelos diversos lugares da aldeia, onde impera uma competição a todos os títulos saudável, sendo a técnica de confecção guardada religiosamente por cada lugar e a sua apresentação feita somente ao fim da tarde do Sábado da Festa. Caravela saída de moeda Data de 1946 o primeiro andor decorado com flores naturais em Alvarães, por ocasião da coroação da imagem de Fátima. Nesse mesmo ano, quatro andores floridos percorreram ainda a freguesia em acção de graças pelo fim do segundo conflito militar à escala mundial. No ano seguinte, o pároco da freguesia sugeriu aos paroquianos que na Festa das Cruzes os andores fossem também embelezados com flores naturais. Terá argumentado que as decorações que, na altura, enfeitavam os andores "cheiravam a mofo". A população gostou da ideia, dando, assim, início à tradição. Fazendo jus à máxima segundo a qual a necessidade aguça o engenho, os paroquianos não precisaram de ir longe para se inspirarem em imagem de caravela para o andor de Santa Cruz. Meteram a mão ao bolso e retiraram uma moeda de 2$50, que ostentava, numa das faces, a caravela agora estilizada na criação. Destaques do Programa: Dia 17 - Sábado 16.00 horas - Concentração das 13 Cruzes e colocação ao longo da avenida da igreja18.30 horas - Desfile dos Andores Floridos.24.00 horas - Fogo de artifício Dia 18 - Domingo 16-00 horas - Início da Hora Solene16.30 horas - Grandiosa procissão em Honra de Santa Cruz17.30 horas - XXIV Festival de Folclore

Ler mais...
Pré-Diagnóstico Social

Pré-Diagnóstico Social

01-ABR-2008

Diagnóstico social concluído, muito trabalho pela frente... Durante um ano, uma educadora social efectuou um exaustivo trabalho de campo, para levantamento da situação social de Alvarães. Foram dias e dias no terreno, em contactos porta-a-porta, que resultaram no pré-diagnóstico que aqui apresentamos.O "retrato" prova que há ainda um longo caminho a percorrer para sanar ou minimizar os muitos problemas sociais que grassam na freguesia.No entanto, este diagnóstico afigura-se-nos um magnífico instrumento de trabalho para definir "estratégias de ataque" aos problemas inventariados.O pontapé-de-saída está dado. Agora, há que "ir a jogo", juntando sinergias e mobilizando as mais diversas entidades com responsabilidades na área social, para um trabalho conjunto em prol dos que mais necessitam do nosso apoio e da nossa atenção.Nesse jogo, a Junta de Freguesia de Alvarães estará sempre na linha da frente.

Ler mais...
Janeiras 2008

Janeiras 2008

08-JAN-2008

Como manda a tradição, o Grupo Folclórico de Danças e Cantares de Alvarães (GFDCA) está, neste primeiro mês de 2008, a percorrer as ruas da freguesia, cantando as Janeiras de casa em casa. É uma forma alegre de o rancho desejar um bom ano a todos os alvaranenses e, simultaneamente, de angariar alguns "trocados" para o financiamento das suas actividades. Mas, como diz uma das quadras que o grupo canta, muito mais importante do que o dinheiro que os donos de cada casa possam dar, é a "chouriça" que eventualmente poderá haver lá pelo fumeiro. Essa "chouriça" representa o convívio entre os elementos do rancho e as pessoas de cada casa, que pode ser traduzido num cálice de Porto para afinar as gargantas, em "duas de conversa" sobre o ano que agora começa, ou mesmo numa desgarrada improvisada entre um qualquer morador que "ouse desafiar" um elemento do rancho. Com a ajuda das concertinas, violas, "ferrinhos" e bombos, o GFDCA vai andar "por aí", ao longo de todo este mês, desejando a todos um 2008 cheio de coisas boas e das maiores venturas a nível pessoal, profissional e familiar.   Este ano, um momento particularmente marcante foi o Cantar das Janeiras na casa de Joaquim Figueiras, fundador do grupo. Joaquim Figueiras, que vive dias complicados por causa de um grave problema de saúde, não conseguiu esconder a emoção. Os elementos do grupo também não. E, por isso, foi de uma forma especialmente sentida e caprichada que ali cantaram as boas festas, num voto comum e muito forte de melhoras para aquele que é o "pai" do rancho de Alvarães. A mensagem que o GFDCA anda a espalhar pela freguesia é esta: «Viva lá patrões da casa Desejamos muita alegria Aqui tem á sua porta O rancho da freguesia   Aqui vimos nós todos reunidos Dar as boas festas aos nossos amigos Não é por interesse, nem pelo dinheiro É pela chouriça que está no fumeiro Oh rapaziada não vos esqueçais Dar as boas festas na noite de Reis   Boas festas, boas festas Para todos em geral Do maior ao mais pequeno Para ninguém ficar mal.»

Ler mais...
Desfile de Pais Natal

Desfile de Pais Natal

27-DEZ-2007

As crianças de Alvarães tiveram, este ano, direito a um Natal diferente. Não só porque o Pai Natal chegou mais cedo à freguesia, mas também porque o homem das longas barbas brancas decidiu dar descanso às renas e aos trenós e se atreveu a apresentar-se de moto.Na realidade, não estamos a falar de pai Natal, mas sim dos Pais Natal. Foram cerca de cinquenta os jovens de Alvarães que, imbuídos de um grande espírito de solidariedade, vestiram o fato vermelho, montaram nas suas motos e foram pelas ruas da freguesia distribuir guloseimas pelos mais pequenos.Mas o espírito solidário dos jovens de Alvarães foi ainda mais longe. Duas Mães Natal puseram os pés ao caminho e foram ao encontro de adultos que ainda são crianças, portadores de deficiência, em alguns casos profunda, levando também a eles um mimo nesta quadra festiva.De todos, sem excepção, Pais e Mães Natal receberam um sorriso contagiante e um impagável brilho no olhar. Todos sem excepção, Pais e Mães Natal garantem desde já que para o ano vão voltar a invadir Alvarães. Porque o Menino Jesus, quando nasceu, foi para todos.

Ler mais...
Presépio ao vivo

Presépio ao vivo

27-DEZ-2007

O Agrupamento de Escuteiros S. Miguel de Alvarães promoveu, no dia 24 e pelo sexto ano consecutivo, um presépio ao vivo. Este ano, o palco foi o espaço fronteiriço à Igreja Paroquial, o que conferiu maior visibilidade àquele quadro natalício. O presépio foi apresentado no final da missa do dia, merecendo rasgados aplausos de todos quantos tiveram oportunidade de o apreciar.  Uma palavra de muito apreço para os pioneiros do Agrupamento de S. Miguel, que foram incansáveis na preparação deste presépio e insuperáveis na forma como o representaram. O Agrupamento deseja a todos os Alvaranenses um próspero Ano Novo, cheio de saúde, paz e amor. Pela nossa parte, prometemos continuar "Sempre Alerta", para ajudar a construir uma sociedade cada vez mais justa e solidária.

Ler mais...
"Transportes Urbanos Têm de Chegar a Alvarães!"

"Transportes Urbanos Têm de Chegar a Alvarães!"

20-DEZ-2007

Fernando Martins já vai no segundo mandato como presidente da Junta de Freguesia de Alvarães. Candidatou-se para perceber a razão que fazia com que pouco ou nada fosse investido na freguesia.  Pouco mais de seis anos depois garante que já saldou as dívidas dos antecessores, mas quer continuar à procura de uma forma quase que mágica para desenvolver esta vila. In "Jornal Altominho"

Ler mais...

© 2021 Junta de Freguesia de Alvarães. Todos os direitos reservados | Termos e Condições

  • GESAutarquia